O que são as Patologias e quais as Ferramentas que Auxiliam no seu Combate

Nos últimos anos, a indústria da construção civil obteve avanços substanciais no âmbito de técnicas e materiais de construção, com melhorias quanto à qualidade dos empreendimentos. Porém ainda há diversas empresas com “know how” defasado em algumas atividades, como a de assentamento de alvenaria, concretagem de lajes, colocação das instalações hidrossanitárias e outros.

Visando inibir a ocorrência de erros e até fatalidades, como uma laje concretada de forma equivocada que poderá colapsar e atingir algum funcionário, o INOVACIVIL irá comentar neste post a respeito das patologias e como confrontá-las.  A figura 1 demonstra um exemplo de soluções exóticas e totalmente incorretas.

Figura 1 – Pilar com fita adesiva.

A equipe do INOVACIVIL percebeu que esse tema acerca de Patologias Construtivas é bastante vasto e que apenas uma postagem não atenderia o ensino dos seus estudantes. Logo, esse tema será composto por três post independentes, ou seja, haverá alguns post caracterizando cada área desse tema.

Post 1 = A origem das patologias construtivas e a importância do seu combate, apontando as ferramentas que auxiliam a superar a ocorrência de patologia;

Post 2 = A caracterização e a classificação das patologias nos âmbitos de Fundações, Concreto Armado, Revestimento Externo, Revestimento Interno e outros;

Post 3 = Por fim, o INOVACIVIL irá indicar o que fazer para diagnosticar a patologia e, posteriormente, saná-las. Será um tema com foco em manutenção preventiva e corretiva.

  1. A ORIGEM DAS PATOLOGIAS E A IMPORTÂNCIA DE COMBATÉ-LAS

Inicialmente, há um questionamento bastante comum no meio acadêmico: “Por que se aconselha a estudar as manifestações patológicas da construção civil?”. Diversos estudantes focam em apenas aprender os processos construtivos, não atentando para os possíveis erros decorrentes deles e como alguns até podem ser de fácil reparo. Por fim, as construções são idealizadas para proporcionar conforto, proteção e bem estar ao ser humano, caso haja falhas nesses quesitos, o empreendimento não atende aos objetivos traçados pelo consumidor.

A compreensão das manifestações patológicas e as suas respectivas particularidades são essenciais no âmbito da manutenção predial, a fim de proporcionar uma vida útil prolongada ao edifício.

Dando continuidade ao estudo, o termo patologia na de construção civil é “a ciência que estuda as origens, causas, mecanismos de ocorrência, manifestações e consequências das situações nas quais o edifício, ou suas partes não apresente um desempenho mínimo preestabelecido”.

As patologias têm origem, para a surpresa de alguns estudantes, nas fases iniciais que são compostas principalmente da elaboração do projeto (45%) e, em menor percentual, da execução (22%), apresentando problemas que comprometem a segurança e a habitabilidade dos edifícios. Conforme exemplificado na figura 2 a seguir.

Figura 2 – Origens patológicas na construção civil (IBAPE-RS, 2013).

À medida que o setor de construção civil evoluiu, os projetos arquitetônicos e estruturais tornaram-se mais refinados e ambiciosos, requerendo soluções bem elaboradas com o intuito de evitar problemas construtivos.

Apesar de pouco difundido, os projetos executivos de paginação de alvenarias (figura 3), das fachadas e tantos outros auxiliam de forma significativa na redução das manifestações patológicas.

Figura 3 – Projeto de Alvenaria, mostrando como os blocos cerâmicos deverão ser assentada.

Em geral, a fim de sanar o incômodo, os construtores optam por refazer todo o serviço do zero, manutenção corretiva. Os custos desses retrabalhos são frequentemente altos, além de desperdiçar mão de obra e material.

Sob a perspectiva econômica, Sitter (1984) afirma que os custos relacionados à intervenção corretiva na construção civil aumentam exponencialmente em uma progressão geométrica de razão cinco à medida que o tempo decorre, figura 4. Ou seja, à medida que o tempo passa a intervenção na patologia torna-se mais custosa, já que seria bem fácil resolver aquela pendência na época da criação dos projetos.

Figura 4 – Evolução dos custos pela fase de intervenção (SITTER, 1984).

Por exemplo, uma falha nas instalações hidrossanitárias provocará, muitas vezes, uma infiltração, afetando os acabamentos, figura 5. Pode-se perceber que seria mais fácil resolver isso na fase de projetos ou no recebimento dos serviços pelo supervisor. No momento da foto, só resta uma saída ao responsável: consertar a origem da infiltração e repor todo o acabamento interno do ambiente, solução caríssima.

Figura 5 – Infiltração característica.

Logo, recomenda-se uma escolha criteriosa a respeito dos materiais, ferramentas e qualidade da mão de obra para todas as etapas do sistema, visando obter o melhor produto possível para o cliente.

As etapas de concepção e projeto são consideradas como as principais causas dos surgimentos de patologias em obras de engenharia, já que diversos problemas poderiam ter sido simulados, estudados e entendidos da melhor forma possível e, consequentemente, prevenidos caso houvesse tempo hábil.

Portanto, as empresas que adotarem a uniformização de procedimentos executivos, avaliações constantes de qualidade juntamente com os acompanhamentos necessários e softwares de simulação do empreendimento como o BIM (Building Information Modeling) poderão diminuir os custos pós-obras, como manutenções e retrabalhos.

Ademais, os diversos canteiros fornecerão um fluxo de informações entre os envolvidos, pois as avaliações recorrentes trarão novas ideias, melhorando as práticas da empresa com o passar do tempo.

Essa transmissão de informações entre uma obra e outra irá proporcionar a disseminação das boas práticas, como uma determinada forma de realizar a alvenaria em uma obra poderá ser utilizada em outras obras da empresa, melhorando o nível de todas.

  1. SISTEMA DA QUALIDADE NA DIMINUIÇÃO DAS PATOLOGIAS

O conceito da qualidade nesse processo visa evitar retrabalhos e propor melhorias nas etapas de execução. A disseminação desse sistema fornece informações a serem consultadas por meio dos bancos de dados da empresa, garantindo, assim, uma elaboração de projetos, planejamentos e orçamentos condizentes com a realidade. Ou seja, alguns detalhes construtivos que provocam possíveis patologias, por exemplo, o uso excessivo de balanços, em lajes e vigas, poderá ser evitado no âmbito concepção do empreendimento.

A qualidade do produto está intimamente relacionada ao planejamento e gerenciamento do canteiro de obra, às condições de higiene e segurança, ao controle de recebimento de serviços e armazenamento de materiais e equipamentos.

Com o intuito de atestar a eficiência do sistema, devem-se fiscalizar os serviços em execução e controlá-los por meio de ensaios e verificações in loco com algumas ferramentas, por exemplo, régua de pedreiro, níveis e outros.

As empresas da construção civil focaram na padronização dos processos, método já comentado no post 5 Etapas Essenciais para a Gestão de sua Obra Um dos itens que embasam esses itens, é a ficha de verificação dos serviços (FVs) cujo objetivo é registrar e garantir a eficiência do sistema da qualidade.

Exemplos de ficha de verificação de serviços para reboco projetado, instalações hidráulicas e instalações elétricas.

LINK > FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO – INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

LINK > FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO – INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

LINK > FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO – REVESTIMENTOS INTERNOS

 

  1. SOFTWARE DE SIMULAÇÃO DO EMPREENDIMENTO EMBASANDO PROJETOS E EVITANDO CUSTOS EM MANUTENÇÃO

O BIM é uma grande inovação dos projetos de construção civil, facilitando o trabalho de todos os projetistas e executores. Diferentemente do Autocad, a modelagem em BIM proporciona uma melhor visualização em 3D, figura 6.

O surgimento dessa tecnologia revolucionou o setor de modelagem, a compatibilização dos projetos de arquitetura, estruturas e instalações tornou-se um diferencial competitivo nas empresas. Além disso, a uma integração entre a modelagem e os levantamentos de quantitativos e orçamento trouxe ao mercado a possibilidade de maior precisão e integração entre todas as áreas que envolvem o empreendimento.

De forma resumida, projetar é a antecipação gráfica do empreendimento. O BIM influencia em 4 fases: elaboração de projetos, planejamento físico-financeiro, construção e operação.

Quando realizado de forma correta, o BIM  é um processo de concepção e construção mais integrado que resulta em edifícios de melhor qualidade, com menores custos e com redução da duração do projeto.

Vantagens estas que são decorrentes da praticidade de elaboração do projeto, da facilidade de encontrar problemas de incompatibilidade, (figuras 7 e 8) e da possibilidade de acompanhamento do andamento do mesmo, ao passo que as soluções necessárias também são encontradas mais facilmente.

A incompatibilização está relacionada ao fato de que há projetistas independentes para cada área, por exemplo, um engenheiro desenvolverá o projeto de estrutura sem ter contato com o responsável pelo de instalações, fato esse que poderá acarretar em encontros entre as instalações e os elementos estruturais. O BIM promove a integração entre todos os elementos, simulando todas as características do projeto, o que irá evitar o a colisão entre os projetos, evitando, por exemplo, os furos em vigas ou a mudança na rota prevista das instalações.

.

Figura 6 – Exemplo de projeção proporcionada pelo BIM.

Figura 7 – Instalações Hidrossanitárias no BIM.

Figura 8 – O BIM proporciona a possibilidade de encontrar incompatibilidades de projetos.

Se você deseja se aprofundar em BIM, pode conferir nesse Link um conteúdo exclusivo do Inova Civil :

LINK > APROFUNDE-SE EM BIM E DOMINE A CONSTRUÇÃO VIRTUAL E PLANEJAMENTO 4D

  1. CONCLUSÃO

Portanto, investir em conhecimento e métodos construtivos tem um considerável impacto no contexto econômico da empresa tanto na produtividade quanto no bem estar dos clientes.

Há uma ligação entre a diminuição de reclamações e patologias no âmbito da construção civil com a melhoria financeira e da qualidade do empreendimento, pois os clientes usufruem de forma satisfatória da mercadoria, transmitindo a sua satisfação a conhecidos e familiares que poderão tornar-se futuros compradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *