5 Etapas Essenciais para a Gestão de sua Obras

1. GESTÃO DA PRODUÇÃO

1.1 INTRODUÇÃO

O canteiro de obras é o local onde há o maior valor agregado, ou seja, ambiente em que tudo acontece, desde erros até acertos. Por isso, valorizam-se as atitudes em que contribuem com a programação, a produção e o controle do empreendimento, a fim de evitar interrupções, serviços mal executados, atrasos do planejamento e falhas de comunicação.

Durante o processo de gestão, o engenheiro visa utilizar os recursos disponíveis, os quais são escassos, da melhor forma possível. Alguns dos itens estudados por esses profissionais são: a melhoria da produtividade, a padronização dos processos, a logística no canteiro de obras e outros.

1.2 MELHORIA DA PRODUTIVIDADE

A produtividade é tratada antes mesmo do início da obra, já que os processos construtivos escolhidos possibilitam o aumento da velocidade na entrega de determinado serviços, equipes bem treinadas tendem a entregar um produto mais rapidamente e de maior qualidade e cultura da empresa e experiência em obras similares proporcionam o efeito aprendizagem do sistema em questão.

Alguns itens poderão afetar diretamente a produtividade das equipes, como excesso de acabamentos em determinados ambientes, aplicações manuais (reboco convencional x reboco projetado), mão de obra sem treinamento (deve-se sempre escolher pedreiros experientes ou proporcionar a capacitação dos funcionários) e projetos incompletos (há, principalmente na cultura brasileira, o despendido maior de tempo na execução que no planejamento e na melhoria dos projetos).

A redução de etapas, como na figura 1, ou a criação de lotes de produção (por exemplo, o engenheiro combina que um conjunto de funcionários conseguirá uma gratificação ao fim do mês caso finalize um conjunto de serviços de forma rápida e eficiente) ou a adoção de elementos industrializados (aços entregues na obra já cortados e dobrados de acordo com os projetos, figura 2) auxiliam na redução considerável do tempo em determinadas atividades.

  •                                                                                      Figura 1 – Vibrador de imersão.
  • Figura 2 – Aço cortado e dobrado entregue na obra.1.3 LOGÍSTICAAinda pouca utilizada e até renegada pela indústria da construção civil, a logística é de suma importância para a boa execução das obras. Nesse âmbito, há o estudo para a redução de distâncias para transporte de materiais, redução de perdas por quebras ou erros de armazenamento, redução dos acidentes, aumento da produtividade e outros.Princípio essencial para o lean construction, pois proporciona que o material chegue à obra na hora certa e no lugar certo, atentando para os prazos dos fornecedores, os custos dos insumos e para a comunicação sem percalços.

    O layout de canteiro é a “alma” desse processo, por isso deve-se racionalizar o espaço ao máximo. Um grande erro das construtoras atuais é destruir a calçada, esquecendo que essa região pertence à comunidade do entorno e que os devidos cuidados agradarão aos vizinhos. Esse layout é dividido em cinco etapas:

    Fase 1 – Implantação- Fase provisória de curta duração, podendo ter alguns itens aproveitados posteriormente;

    Fase 2 – Adaptação da primeira fase às mudanças e necessidades da obra;

    Fase 3 – Canteiro “Definitivo” fase de maior duração, admitindo modificações para atender novas necessidades da obra;

    Fase 4 – Preparação para desmobilização- Provisória de curta duração;

    Fase 5 – Desmobilização. Obra em conclusão e canteiro sendo desmobilizado.

    Figura 3 – Layout Básico de um canteiro de obras.

    Há algumas dicas para a realização do layout, como instalar o elevador do tipo cremalheira, figura 4, em locais com poucos serviços a serem realizados (varandas em contato com a sala), dimensionar o elevador provisório para que atenda os tamanhos dos pallets (figura 5) e uma quantidade razoável de funcionários, a grua deverá ser colocada em um local que abasteça o maior espaço possível, banheiros químicos no edifício (evitando excesso de deslocamentos dos funcionários) e outras dicas.

    Figura 4 – Elevador do tipo cremalheira.

    Figura 5 – Pallets de tijolos em um carrinho apropriado ergonomicamente.

    1.4 PLANEJAMENTO DE PRODUÇÃO

    Embasados pelos planejamentos a longo, médio e curto prazo, pode-se desenvolver a divisão de equipes, respeitando a linha de balanço e a Curvas S do empreendimento. Logo, o engenheiro responsável pelo canteiro poderá dimensionar a quantidade de equipamentos por pavimento, programar o estoque mínimo necessário para atender as equipes dimensionadas, realizar o mapeamento das zonas de fluxos de materiais e funcionários (figura 6) e aplicar melhorias contínuas.

    Figura 6 – Exemplo básicos de mapeamento do fluxo de materiais, equipamentos e funcionários.

    Com esse mapeamento, as equipes poderão reduzir variações nos procedimentos, consequentemente, desperdícios e excesso de tempo gasto por escolher um caminho mais longo. Além disso, podem-se adotar ciclos menores de produção, fluxo puxado e terminalidade dos serviços.

    Outro exemplo de planejamento de produção idealizado pelo lean construction:

    KANBAN (Figura 7) → Planejamento realizado no dia anterior pela a gerência de produção sobre a sequência de pedidos que a betoneira deverá atender no dia posterior. Por exemplo, um pedreiro coloca o traço desejado para determinado serviço e a sua quantidade. Esse material deverá ser entregue na hora requisitada, há a divisão das horas no eixo da horizontal e dos minutos no eixo vertical.

    Figura 7 – Kanban na indústria da construção civil.

    1.5 PADRONIZAÇÃO

    A padronização é, para muitos engenheiros e funcionários da área, a ferramenta mais importante no dia a dia da obra. Obviamente, dificilmente uma empresa irá replicar um projeto de um edifício já entregue, porém, muitos processos construtivos são semelhantes e oferecem oportunidades para aumentar a eficiência da organização. Ou seja, deve-se ensinar a todos os funcionários a melhor maneira de realizar aquele determinado trabalho.

    Seguindo essa ideologia, as empresas padronizam os serviços, como a elevação da alvenaria, o assentamento das esquadrias metálicas e de madeiras, a concretagem e tantos outros. Além disso, a padronização é bem vista nos escritórios, proporcionando o melhor método de trabalho a ser realizado no setor de contratos, no setor pessoal, no setor de suprimentos e etc.

    O aumento da produtividade, a simplificação na gestão do canteiro, a redução da ocorrência de patologias, a melhoria contínua, a melhoria da qualidade e o aumento da segurança são algumas das vantagens da padronização dos processos na empresa.

    A gestão de obras tende a ser um ponto específico e importante para sua construção. Pensando nisso o Inova Civil desenvolveu um Workshop gratuito de Planejamento de Obras com MS Project.

Para acessá-lo, basta clicar abaixo e começar os estudos:

LINK > Acessar Workshop de Planejamento de Obras

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *