O Que Você Precisa Saber para sua Empresa Vencer no Mercado

1.      EMPRESA MODELO

1.1. INTRODUÇÃO

É sabido por todos que os engenheiros, principalmente os gestores das obras, devem possuir alguns conceitos de administração, seja para conduzir de forma satisfatória o dia a dia ou, até mesmo, para guiar suas respectivas equipes a um resultado em comum.

Por diversas vezes, engenheiros recém-formados ou com pouca prática no mercado não conseguem formular objetivos factíveis e tangíveis, apesar disso não ser culpa deles. Os modelos arcaicos de ensino superior e fundamental presentes no Brasil não fornecem todas as informações necessárias para vencer no mercado, pois há apenas o foco em decorar fórmulas ou assimilar conhecimentos com pouca aplicação na vida real. Em sua maioria, essas instruções são inutilizáveis para a prática da gerência de empresas e do empreendedorismo.

Com esse intuito, e embasados por diversos livres considerados os mais importantes do ramo de condução de empresas, o INOVACIVIL irá fornecer algumas dicas generalistas a primeiro momento, já que não constituem uma “receita de bolo” pronta a ser aplicada em qualquer local. Logo, cada profissional deverá assimilar o seguinte conteúdo e adaptá-lo ao respectivo modo de trabalho.

As seguintes dicas foram extraídas, resumidas e compiladas do livro Empresas feitas para vencer cujo autor é o gestor Jim Collins, o qual detém um extenso currículo no ramo de administração de empresas sendo consultor de grandes empresários, como o multibilionário brasileiro Jorge Paulo Lemann, comandante do 3G e homem mais rico do Brasil.

1.2 EMPRESAS FEITAS PARA VENCER

1.2.1 LÍDER

Ao contrário do senso comum, em uma empresa robusta precisa-se de líderes calmos, humildes e reservados que possuem como meta a construção de uma excelência duradora pautada na meritocracia, ou seja, no incentivo e reconhecimento do trabalho duro de seus colaboradores.

Além disso, são incrivelmente ambiciosos, contudo todo esse potencial é direcionado à instituição e não ao seu próprio ego.

Um ponto primordial que baliza esse tipo de líder é a postergação da empresa. Logo, dedica uma extensa parte do seu tempo na sua respectiva sucessão, a fim de que a empresa tenha um gestor futuro com um potencial acima do dele.

Por fim, sua ideologia torna-se oposta aos líderes celebridades. Quando as coisas vão mal, assumem a culpa e a responsabilidade. Por outro lado, quando há o sucesso, o dedicam ao grupo de colaboradores.

1.2.2 EQUIPE

Dando prosseguimento à análise de como alcançar o sucesso, as empresas feitas para vencer, começam com os seguintes questionamentos:

1 “Quem eu preciso contratar?”

Se você começa a sua empresa tentando concentrar o maior número de ótimos profissionais, torna-se mais fácil a adaptação em um mundo exposto a constantes mudanças.

Além disso, colaboradores com notórios níveis de excelência atraem seus semelhantes.

2 “Essas são as pessoas certas para estarem na empresa?”

Caso tenha contratado as pessoas certas, a gerência tornear-se-á praticamente inexistente, já que esse tipo de funcionário tende a se automotivar por um impulso interior de produzir o melhor de si todos os dias.

3 “Sei a direção rumo ao sucesso em meu mercado, porém tenho as pessoas erradas. Isso me levará a ser uma empresa excelente?”

Não! Uma grande visão sem grandes pessoas é irrelevante!

Essa ordem das perguntas a serem feitas é imutável, pois como em um barco, deve-se primeiro colocar as pessoas certas para que, em seguida, seja definido o rumo daquela embarcação.

Atualmente, os maiores desafios das grandes empresas não são baseados nos mercados, nos produtos, nem na tecnologia e muito menos na concorrência, e, sim, em como incentivar e manter os profissionais de alto nível de desempenho.

Para elas, a demissão em massa ou as reestruturações não balizam as estratégias para melhoria de desempenho. Já que os seus maiores ativos são as suas equipes altamente treinadas e detentoras de desempenhos com níveis de excelência.

 

1.2.3 GERIR A SUA EQUIPE COM A VERDADE

No momento em que os líderes enfrentarem situações desafiadoras, terão que criar um clima, no qual a verdade prevalecerá. Em muitos casos, o gestor de excelência, antes das crises, já criou uma cultura de comunicação eficaz que proporciona à sua equipe uma oportunidade de arguir e discutir acerca de determinadas decisões.

Para proporcionar um clima de verdade na sua empresa, deve-se:

  • Liderar com perguntas, para que todos adquiram uma independência de como resolver os problemas;
  • Envolver-se no diálogo e no debate, não na coação: Sempre debata e escute a opinião de todos, pois, assim, haverá maior comprometimento de todos na resolução dos desafios;
  • Não jogar a culpa nos outros: Tente entender o porquê e a origem daquele momento e não realize um caça as bruxas na empresa;
  • Ser otimista e incentivar a todos a saírem daquela situação difícil.

1.2.4 TRABALHE EM ALGO QUE VOCÊ AMA, NA QUAL PODERÁ SER O MELHOR E AINDA SER REMUNERADO PELO SERVIÇO

A engenharia civil possui inúmeros ramos, como as empresas de orçamentos e planejamentos, de projetos estruturais, de projetos de instalações prediais e outros tantos focos. Portanto, cada empresário deverá ater-se na interseção desses três tópicos, escolher o que de fato poderá ser feito da melhor forma possível, com um alto valor agregado e com uma satisfação incomparável.

Não adianta a sua empresa desempenhar diversas atividades distintas, por tentar acompanhar um ramo que naquele momento esteja alcançando sucesso ou esteja na moda. Será que a sua nova empresa deverá focar em inspeções prediais? Sua característica não se assemelha mais a consultor? A projetista de instalações? Não seria melhor focar desde já no âmbito, no qual você têm o melhor desempenho e afinidade?

Por exemplo, a Gillette viu que possuía uma rara combinação de fatores: habilidade de construir bilhões de produtos a preços baixíssimos e a habilidade de construir uma marca global, tornando-se, assim, a Coca-Cola das lâminas de barbear.

1.2.5 DISCIPLINA CONSTANTE

O sucesso para no ramo de engenharia civil, não excluindo os outros, é pautado na prática da disciplina. Como dito anteriormente, ao contratar pessoas autodisciplinadas e motivadas não há a preocupação em comandá-las constantemente. Nesse aspecto, os líderes irão gerenciar o sistema e não as pessoas.

À medida do passar dos dias, os gerentes construirão uma cultura de disciplina, a qual os seus colaboradores irão ser uma “extensão” dos fundadores da empresa, seguindo os objetivos traçados e os encaixando no modo de ser da empresa.

Seguindo o exposto, cada funcionário poderá, de acordo com a ideologia traçada e as características particulares, partir para a ação, tendo a liberdade de solucionar os problemas da melhor maneira possível.

1.2.6 TECNOLOGIA

As empresas caracterizadas pela excelência não adentram em tecnologias desconhecidas ou modistas até terem a certeza de que essa estará em consonância com a maneira de ser da empresa.

Um exemplo bem conhecido disso está na empresa automotiva Chrysler que utilizou toda a inovação da época da década de 1980 para se aventurar na fabricação de jatos Gulfstream, saindo da sua razão de ser, portanto registrou-se um retumbante fracasso.

Os avanços tecnológicos das últimas décadas deverão ser utilizados como aceleradores do desenvolvimento da empresa e não como desvio do foco. A ideia baseia-se em melhorar a prestação de serviços, como uma incorporadora imobiliária que utiliza o método do BIM para realizar a compatibilização de projetos, o qual proporcionará projetos bem elaborados.

Algumas tecnologias, como o BIM, o MS PROJECT, EXCEL e outros estão elevando o nível de gerenciamento de determinadas atividades principalmente em empresas de execução de obras, pois, por meio deles, podem-se criar bons projetos, planejar a obra de acordo com os seus recursos escassos e gerir/controlar as suas equipes da melhor maneira possível.

Sem dúvidas, a tecnologia é importante. Uma empresa jamais não poderá adentrar em um marasmo de preguiça e lentidão, pois a característica primordial de uma instituição feita para vencer é a ânsia criativa e a compulsão pela pura excelência.

1.3 CONCLUSÃO

A razão de ser desse post baseia-se em compreender que grande parte do trabalho desempenhado diariamente poderá ser apenas um desperdício de energia e que se houvesse uma melhor organização do tempo ou apenas o ato de ignorar alguns serviços que não estão de acordo com os princípios e metas almejadas pelas empresas, as vidas seriam mais simples e com resultados mais efetivos.

Caso você esteja se perguntando por que deveria ter uma empresa com nível de excelência, então provavelmente esteja trabalhando em uma linha de trabalho equivocada. Sabe-se que as empresas excelentes desempenham uma melhoria na sociedade de forma geral: criam empregos, inovam de maneira substancial em suas respectivas áreas de trabalho e proporcionam altos índices de satisfação a um grande número de excelentes colaboradores.